Os snujs na dança do ventre

snuj_thumb1.png

Os snujs vêm do Egito em uma cidade chamada Bubast. Lá, as sacerdotisas costumavam uma vez por ano descer até o rio Nilo, durante os festivais que reverenciam as deusas femininas, para cantar, queimar incensos e tocar sinos que mais tarde foram substituídos pelos snujs. O som desse instrumento era para invocar a deusa Bastet, protetora  das dançarinas e das mulheres que cuidavam de crianças pequenas. Acreditava-se que a bailarina purificava o ambiente ao dançar com os snujs.

                Estes festivais louvavam as Deusas que traziam fertilidade a Terra. Os snujs eram tocados para afastar os maus espíritos e eles atuam como purificadores da energia do ambiente, transmutando a energia negativa em positiva.

Para tocá-los, requer paciência e dedicação, o que exige excepcional habilidade, ele esta relacionado com a musicalidade de cada pessoa e do entendimento que ela possui dos ritmos árabes. O resultado da dedicação é o equilíbrio entre os movimentos corporais, a música e o toque dos Snujs que fluem como se fosse magia.

Os snujs – também chamados de fingers, címbalos e sagat – são um par de círculos de metal  côncavos, como se fossem pratos usados um par em cada mão. Podem ser dourados, prateados com ou sem desenhos e estão disponíveis nos tamanhos P, M e G. Em cima de cada “pratinho”, há um orifício onde a gente passa um elástico para poder prender os snujs nos dedos do meio e no dedão, perto da base da unha. O elástico não deve estar muito solto para não cair, e nem muito apertado para não prender a circulação sanguínea. Eles podem ser tocados pelos músicos, ou então pela própria bailarina enquanto dança. Neste caso, requer grande habilidade da bailarina, que deve dançar e tocar ao mesmo tempo.

Geralmente as músicas mais indicadas são as mais aceleradas, mais animadas, com ritmos ou floreados bem marcados.

Cuidados com os snujs: São necessários alguns cuidados com o armazenamento para prolongar a qualidade do som e a aparência dos snujs. Por isso é importante não guardá-los úmidos e deixá-los envolto em algum tecido.